segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Saudades

Foi-se. Chegou de repente, como um furacão, que não se espera, que não se sabe de onde ou a que veio. Da mesma forma foi embora. Arrebentou estruturas, demoliu construções. Me resta agora (re)configurar, (re)arranjar o que ficou, de forma a entender o acontecimento como parte da minha vida.
Saudades. De tudo. Sempre.
Mas a vida continua.
"As flores refletem bem o verdadeiro. Quem tenta possuir uma flor verá a sua beleza murchando. Mas quem olhar uma flor no campo permanecerá para sempre com ela. Você nunca será meu e por isso terei você para sempre". (Paulo Coelho)

2 comentários:

Pedro Figueira disse...

O AMOR É IGUAL A UMA BORBOLETA - QUANDO VC TENTA PEGÁ-LA, ELA VOA E VAI EMBORA, MAS QUANDO VC MENOS ESPERA, ELA POUSA EM SEU OMBRO...

Bruno Figueira disse...

Faço de suas palavras, as minhas....
Te amo maninha..
Beijo!