quarta-feira, 1 de outubro de 2008

O Eterno Retorno

"O eterno retorno é uma idéia misteriosa de Nietzsche que, com ela, conseguiu dificultar a vida a não poucos filósofos: pensar que, um dia, tudo o que se viveu se há-de repetir outra vez e que essa repetição se há-de repetir ainda uma e outra vez, até ao infinito! Que significado terá este mito insensato?" (Milan Kundera - A Insustentável Leveza do Ser)

"A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida" (Vinícius de Moraes)

Pensei o dia todo sobre essas duas citações. A noite passada fui surpreendida com uma mensagem simples, porém muito direta em meu celular. "Se estiver acordada, me liga! Agora!"

Trêmula, sem pensar muito sobre o assunto, obedeci à ordem. Havia anos que não recebia notícias. Não, não. Na verdade, havia anos que não recebia notícias até um reencontro que se deu há cerca de três meses. Foi uma ocasião cheia de emoção, tão contida que transbordava em cada um de nossos gestos e palavras. Não nos foi possível escondê-la. De ninguém.

Achei que ficaríamos por aí. Um reencontro, muitos equívocos esclarecidos, a troca de carinhos. Não ficamos. Ontem, ao telefone, disse que estava por perto e queria me ver no dia seguinte. Não sei se minha vontade era a mesma. Mas aquiesci, uma vez tratar-se de uma pessoa tão importante na minha vida, que significou tanto por tanto tempo para mim. Não sei qual seu papel nela hoje em dia, e me reservo o direito de não pensar sobre o assunto.

Tenho por princípio não aceitar pontos finais. Acredito sim que, como já dizia o poeta, a vida seja a arte do encontro, e do reencontro. E a própria vida, felizmente, me deu motivos para pensar assim.

O eterno retorno ao qual se refere Nietzche é de uma magnitude reconfortante, apesar de Tereza, personagem de Milan Kundera no livro citado, considerá-lo um fardo pesadíssimo. Imagino que a leveza ou o peso do fardo depende de como as experiências são vivenciadas. Para mim, é muito importante saber que aquilo que vivi não se perde, e que sempre, em absolutamente todos os casos, há a possibilidade do resgate.

Ahhh... o (re)encontro? Não rolou... Ainda!!!! E que venha o fim de semana!!!

Um comentário:

Francisco Castro disse...

Olá, gostei muito do seu blog. Ele é muito bom.

Parabéns!

Um abraço