domingo, 28 de novembro de 2010

Valer a pena

No meu segundo dia de aula na escola que assumi este ano, tive aula no segundo ano do Ensino Médio, uma sala cheia de alunos barulhentos e enormes (literalmente enormes, minha mãe ficou pasma ao conhecer um deles outro dia). A sala possuía cerca de 4o alunos, e estavam tão acostumados a falar, que falavam ser perceber... Quando davam por si, estavam no maior papo como se fosse hora do intervalo. Entrei e foi assim que encontrei essa sala. Parei diante de todos aqueles alunos extremamente intimidadores (toda sala de aula é intimidadora no primeiro dia), me apresentei, fiz a chamada e comecei a aula. Com exceção de três ou quatro olhinhos mais atentos, os demais alunos naquela farra. Um desses olhinhos atentos era a Ana Flávia, que depois de alguns dias me contou que tinha muita dificuldade em "tradução", e que estava preocupada em não dar conta. Expliquei a ela que ela estava fazendo errado, que não tinha que traduzir, que aquele conjunto de letras e palavras e frases tinham que fazer sentido para ela. Foi então que inclui nas minhas aulas, algumas dicas sobre interpretação de texto, e a leitura obrigatória e resumo de um artigo de revista ou jornal em inglês por semana. E disse a aluna que ela só não daria conta se não quisesse. Que dizer "Eu não entendo" encerra o assunto e se torna uma justificativa e uma muleta para os fracassos. Quando você assume alguma dificuldade, este deveria ser o primeiro passo para superá-la. Mas a maioria das pessoas usa essa afirmação como a simples e suficiente justificativa para seu fracasso em determinados âmbitos da vida. Tá, é difícil, mas o que você vai fazer sobre isso? Já dizia Sartre que não importa o que a vida fez com você, importa o que você fez com o que a vida queria fazer com você.
Há algum tempo, soube que passei em um concurso da prefeitura. Essa semana assumo. E terei que deixar algumas aulas, inclusive as da sala dela. Hoje, ao chegar em casa, me deparei com uma mensagem que fez todo o meu esforço de um ano doido, vendo pouco a minha filha, comendo qualquer porcaria na rua, voando na estrada na velocidade máxima do meu Uninho, levando desaforo de alunos que não querem nada com nada; valer a pena. Pedi a ela para publicar aqui, ao que ela aquiesceu:

Teacher...
Gostaria de te agradecer por suas aulas esse ano e pelo seu apoio e dedicação.
Agradeço por sua paciencia comigo e por não ter desistido de dar aulas no segundo ano do XXX, como outros professores
Sem você concerteza eu não teria melhorado tanto em ingles, e gostaria que você soubesse que nunca vou esquecer tudo que aprendi com você.
Aprendi que não iria mudar a situação dizer ''não sei, não entendo'', entendi que eu precisava correr atras e em você encontrei apoio e uma professora que me auxiliou, e muito, nas minhas traduções de textos, que eram minha maior dificuldade
Teacher, eu gabaritei a prova de ingles da fuvest e com certeza foi por ter tido você como minha professora! Essa vitória não foi só minha hahahahaha
Obrigada, obrigada e obrigada.
Sem você eu não teria conseguido esse feito, que pra mim, uma aluna que sempre teve imensa dificuldade em ingles, foi algo extraordinario...
Não sei nem como te agradecer, mas saiba que agradeço a Deus por ter tido você como professora esse ano.
Espero que ano que vem eu continue te encontrando nas minhas manhãs, porque você é a melhor professora de ingles possivel, e além disso é uma pessoa muito querida!
Obrigada de novo
Beijos, Ana Flávia - 2º ano, XXX

Vou sentir saudades de você, Ana. Obrigada por não desistir de você mesma. I´m very proud of you!!!!

Um comentário:

Alexandre disse...

Que legal!!! Cheguei a ler o comentário dela no seu orkut. É, a vida é assim mesmo, Pri. Sexta vc estava me contando sobre uns acontecimentos que te deixou chateada. O que faz valer a pena na vida são esses pequenos detalhes e reconhecimento de poucos, infelizmente!